11 fatos sobre os 2 milhões de brasileiros que chegaram à Bolsa neste ano

O gosto dos brasileiros por investir em ações parece maior do que nunca. Em pouco mais de um ano, entre maio de 2019 e outubro de 2020, o número de pessoas que investem na Bolsa saltou de 1 milhão para 3,2 milhões (em número de contas cadastradas na B3). A B3 (B3SA3), dona da Bolsa [...]

Ela estão chegando: mulheres já representam 25% dos investidores da Bolsa e tendem a ficar mais tempo que os homens com as ações (Imagem: Pixabay/ Tumisu) O gosto dos brasileiros por investir em ações parece maior do que nunca. Em pouco mais de um ano, entre maio de 2019 e outubro de 2020, o número de pessoas que investem na Bolsa saltou de 1 milhão para 3,2 milhões (em número de contas cadastradas na B3). A B3 (B3SA3), dona da Bolsa brasileira, realizou uma pesquisa para entender quem são elas e o que buscam na renda variável. Algumas descobertas contrariam o senso comum que se estabeleceu entre analistas, gestores e (por que não?) a imprensa. Para começar, o fato de a taxa básica de juros estar em seu menor patamar é importante para a migração da renda variável para as ações, mas não conta toda a história. Segundo a pesquisa, 44% das pessoas entraram na Bolsa por razões ligadas, direta ou indiretamente, aos juros baixos. Entre as 56% restantes, a maior motivação para comprar ações é o desejo de aprender a investir em novas modalidades de produtos (38% das respostas), e a vontade de ampliar a carteira de investimentos (9% das respostas). Veja, a seguir, as principais descobertas da pesquisa da B3 publicada nesta segunda-feira (14). 1. Clube do Bolinha 74% dos investidores são homens; 2. Apetite ao risco 39% dos entrevistados definem-se como um investidor ousado, que aceita correr riscos em troca de uma rentabilidade maior; 3.... Acessar conteúdo completo

Receba nossas novidades em seu e-mail!