Ágora retoma cobertura da Camil com recomendação neutra e perspectiva de baixa para preços do arroz

A Ágora Investimentos retomou a cobertura das ações da Camil (CAML3) com recomendação neutra e preço-alvo de R$ 12. Apesar de reconhecer que a companhia conseguiu aplicar uma boa estratégia de diversificação em suas operações, a corretora acredita que o valuation parece justo, visto que a alta dos preços do arroz tem hora para acabar. [...]

Analistas da Ágora Investimentos projetam um aumento nos estoques do alimento no Brasil em 2021 (Imagem: Unsplash/@lakelandimages) A Ágora Investimentos retomou a cobertura das ações da Camil (CAML3) com recomendação neutra e preço-alvo de R$ 12. Apesar de reconhecer que a companhia conseguiu aplicar uma boa estratégia de diversificação em suas operações, a corretora acredita que o valuation parece justo, visto que a alta dos preços do arroz tem hora para acabar. “A ação superou o Ibovespa em cerca de 30 pontos percentuais no acumulado no ano, com os investidores precificando o benefício do aumento dos preços do arroz em seus resultados. No entanto, semelhante a 2008-09, pensamos que os principais motivos que levaram os preços do arroz a subir globalmente são temporários (corridas para compra, choques de oferta)”, explicaram os analistas Leandro Fontanesi e Ricardo França, em relatório divulgado nesta terça-feira. Além disso, os analistas projetam um aumento nos estoques do alimento no Brasil em 2021, com a próxima safra próxima de acontecer, em fevereiro. A Camil adotou uma visão otimista sobre o cenário de preços do arroz para o ano que vem. Flávio Vargas, diretor financeiro e de relações com investidores da empresa, conversou com a Reuters na última sexta sobre o ano “excepcional” de 2020 para os resultados da companhia. Na opinião do executivo, o arroz pode ficar no mesmo preço médio deste ano. “A gente vê uma... Acessar conteúdo completo

Receba nossas novidades em seu e-mail!