Avanço da Covid-19 e fim de estímulo fiscal pressionam vendas no varejo dos EUA

As vendas no varejo dos Estados Unidos caíram mais do que o esperado em novembro, provavelmente prejudicadas por novas infecções por Covid-19 e redução da renda familiar, colaborando para sinais crescentes de desaceleração na recuperação da economia diante da recessão pandêmica. A segunda queda mensal consecutiva nas vendas no varejo relatada pelo Departamento de Comércio [...]

A economia está passando por uma fase muito difícil”, disse Gus Faucher (Imagem: REUTERS/Brendan McDermid) As vendas no varejo dos Estados Unidos caíram mais do que o esperado em novembro, provavelmente prejudicadas por novas infecções por Covid-19 e redução da renda familiar, colaborando para sinais crescentes de desaceleração na recuperação da economia diante da recessão pandêmica. A segunda queda mensal consecutiva nas vendas no varejo relatada pelo Departamento de Comércio nesta quarta-feira pode levar o Congresso dos EUA a concordar com outro pacote de estímulo fiscal. Ainda assim, economistas dizem que mais dinheiro do governo e o lançamento de vacinas contra o coronavírus provavelmente não impedirão a economia de desacelerar drasticamente ou até mesmo recuar no primeiro trimestre de 2021. As notícias sobre o fraco início para a temporada de compras natalinas vêm na data em que as autoridades do Federal Reserve encerram dois dias de reunião de política monetária. Espera-se que o banco central dos EUA mantenha sua taxa de juros ‘overnight’ próxima a zero e forneça um manual do que pode levar o Fed a injetar mais dinheiro na economia. “A economia está passando por uma fase muito difícil”, disse Gus Faucher, economista-chefe da PNC Financial. “Embora a ampla distribuição de vacinas apoie um crescimento econômico mais forte até meados de 2020, as condições permanecerão frágeis até lá.” As vendas no varejo... Acessar conteúdo completo

Receba nossas novidades em seu e-mail!