Benefício de até R$ 1.800 será pago até 31 de dezembro; Saiba como receber

Auxílio é pago aos trabalhadores que tiveram redução de jornada de trabalho e salário ou suspensão do contrato. BEm foi criado pela MP 936/20.

O governo federal assinou o decreto com a prorrogação do Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm) até 31 de dezembro de 2020. A iniciativa, concedida pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), possui validade apenas enquanto durar o estado de calamidade pública do país. Instituído pela Medida Provisória (MP) 936/20, o programa autoriza empresas, em acordo entre empregado e empregador, a reduzirem proporcionalmente a jornada de trabalho e salário ou suspenderem temporariamente o contrato de trabalho. O BEm já havia sido ampliado duas vezes e mais esta, tendo sido publicado no Diário Oficial da União (DOU).  O prazo se encerraria em outubro deste ano, mas o ministro da Economia, Paulo Guedes, já tinha mencionado a extensão do programa. “Diante do cenário atual de crise social e econômica, e com a permanência de medidas restritivas de isolamento social, faz-se necessária a prorrogação, mais uma vez, do prazo máximo de validade dos acordos”, disse a Assessoria de Comunicação Social da Presidência, por meio de nota. “Essa ação irá permitir que empresas que estão em situação de vulnerabilidade possam continuar sobrevivendo a este período e, desta forma, preservar postos de trabalho e projetar uma melhor recuperação econômica”, acrescenta o órgão.  Qual o valor pago pelo BEm? O valor pago pelo benefício emergencial equivale a um percentual do seguro-desemprego, que o trabalhador faria jus no caso de... Acessar conteúdo completo

Receba nossas novidades em seu e-mail!