Bolsonaro volta a insistir em vacinação voluntária, no dia em STF julga questão

O presidente Jair Bolsonaro voltou a insistir na tese de que ninguém deve ser obrigado a se vacinar contra a Covid-19. A declaração foi sutil, durante seu pronunciamento na cerimônia do lançamento do plano nacional de vacinação contra a pandemia, realizada no Palácio do Planalto nesta manhã (16). Ao destacar o papel da Anvisa no [...]

Zé Gotinha na área: Pazuello e Bolsonaro lançam plano contra Covid-19 (Imagem: Isac Nóbrega/PR) O presidente Jair Bolsonaro voltou a insistir na tese de que ninguém deve ser obrigado a se vacinar contra a Covid-19. A declaração foi sutil, durante seu pronunciamento na cerimônia do lançamento do plano nacional de vacinação contra a pandemia, realizada no Palácio do Planalto nesta manhã (16). Ao destacar o papel da Anvisa no combate à pandemia, Bolsonaro afirmou que a agência deverá definir a vacina “que deve ser apresentada de forma gratuita e voluntária a todos os brasileiros”. A declaração ocorre no mesmo dia em que o plenário do STF (Supremo Tribunal Federal) deve julgar, a partir das 14h, duas ações envolvendo a obrigatoriedade da vacina. A primeira, apresentada pelo PDT, pede que o STF reconheça o direito de Estados e municípios determinarem a vacinação obrigatória contra o coronavírus. Já o PTB quer que o Supremo declare inconstitucional a possibilidade de imunização compulsória prevista na Lei Nº 13.979/20, sancionada pelo próprio presidente Bolsonaro. A Lei Nº 6.259/75, que cria o Programa Nacional de Imunizações, também prevê a possibilidade de vacinação compulsória. Exageros Num breve discurso de cerca de cinco minutos, Bolsonaro procurou demonstrar união entre o governo federal e os Estados, após meses sendo bombardeado por governadores, devido à sua resistência a reconhecer a gravidade da situação e... Acessar conteúdo completo

Receba nossas novidades em seu e-mail!