Cogna: pressão sobre resultados seguirá no curto prazo

A Cogna (COGN3) divulgou na manhã desta segunda-feira (14) as estimativas para o Ebitda recorrente de 2020. De acordo com a empresa do setor educacional, o indicador deve somar R$ 1 bilhão neste ano, enquanto o fluxo de caixa operacional pós-investimentos totalizará R$ 230 milhões. As projeções da companhia vieram em linha com o que [...]

De acordo com a Ágora Investimentos, os resultados da Cogna seguirão afetados pelos descontos obrigatórios do terceiro trimestre de 2020 e pelas provisões de inadimplência ainda elevadas (Imagem: Instagram/ Kroton Educação) A Cogna (COGN3) divulgou na manhã desta segunda-feira (14) as estimativas para o Ebitda recorrente de 2020. De acordo com a empresa do setor educacional, o indicador deve somar R$ 1 bilhão neste ano, enquanto o fluxo de caixa operacional pós-investimentos totalizará R$ 230 milhões. As projeções da companhia vieram em linha com o que a Ágora Investimentos esperava, embora o Ebitda tenha ficado abaixo da estimativa do consenso, de R$ 1,2 bilhão. Na avaliação da Ágora, os resultados da Cogna continuarão pressionados no curto prazo. “Seus resultados devem continuar a ser afetados pelos descontos obrigatórios observados no terceiro trimestre de 2020 e pelas provisões de inadimplência ainda elevadas, enquanto seu guidance de Ebitda para 2024 ficou 5% abaixo de nossa estimativa”, comentaram os analistas Fred Mendes e Flávia Meireles. A corretora manteve a recomendação neutra da ação, com preço-alvo para 2021 de R$ 6,50. Acessar conteúdo completo

Receba nossas novidades em seu e-mail!