Com aquisição dos ativos móveis da Oi, Tim está negociando a um valuation altamente atrativo
Ver mais sobre: Notícias

Com aquisição dos ativos móveis da Oi, Tim está negociando a um valuation altamente atrativo

Com a aquisição dos ativos móveis da Oi (OIBR3), Tim (TIMP3) está negociando a um valuation altamente atrativo, na visão do BTG Pactual. O banco realizou uma reunião o CFO da TIM, Adrian Calaza, e com o gerente de RI, Vicente Ferreira, para entender quais são os reais ganhos da compra. "Saímos da reunião com [...]

Na visão do BTG, a consolidação do setor esperada deve criar espaço para as margens do FCF Operacional melhorarem ainda mais nos próximos anos (Imagem: Reuters/Remo Casilli) Com a aquisição dos ativos móveis da Oi (OIBR3), Tim (TIMP3) está negociando a um valuation altamente atrativo, na visão do BTG Pactual. O banco realizou uma reunião o CFO da TIM, Adrian Calaza, e com o gerente de RI, Vicente Ferreira, para entender quais são os reais ganhos da compra. “Saímos da reunião com ainda mais clareza de que a TIM se beneficiará enormemente com a consolidação, pois ganhará escala, fechará seu gap de espectro e agregará uma base de clientes relevante”, avaliou o BTG. Para o CFO da empresa, existem três grupos principais de sinergias na transação, sendo eles a obtenção de acesso à posição do espectro da Oi; a base de clientes que a TIM está trazendo e a maior competitividade que o negócio trará, ajudando as empresas a reposicionar suas ofertas. De acordo com o relatório, a aquisição de 44% da operação móvel da Oi pela TIM, adicionaria cerca de R$ 1,8 bilhão em fluxo de caixa operacional livre adicional, antes dos impostos. À taxa de desconto de 10%, o fluxo de caixa extra significaria um valor justo para o ativo de R$ 17,8 bilhões, pelo qual a TIM está pagando R$ 7,3 bilhões. Após os impostos, a criação de valor seria de R$ 7,3 bilhões ou R$ 3,0 por ação – 21% do preço atual das ações da empresa. Na visão do... Acessar conteúdo completo

Receba nossas novidades em seu e-mail!