Com ou sem forward guidance, Copom só elevará juros no segundo semestre

A ata da última reunião do Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central, divulgada nesta terça-feira (15), reforça a avaliação do mercado sobre dois pontos. O primeiro é que o forward guidance pode ser descartado em breve. O segundo é que os juros continuarão onde estão até o fim do primeiro semestre de 2021. [...]

Sem afobação: para XP, Banco Central só mexerá nos juros em meados do ano (Imagem: REUTERS/Adriano Machado) A ata da última reunião do Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central, divulgada nesta terça-feira (15), reforça a avaliação do mercado sobre dois pontos. O primeiro é que o forward guidance pode ser descartado em breve. O segundo é que os juros continuarão onde estão até o fim do primeiro semestre de 2021. A opinião é da XP Investimentos, em relatório enviado aos clientes. O forward guidance é um recurso utilizado por bancos centrais, como o americano, para ancorar expectativas e, assim, evitar que o mercado seja surpreendido por suas decisões. Na prática, trata-se de sinalizar claramente, nos comunicados da autoridade monetária, seus cenários e seus próximos passos. Com isso, os agentes econômicos e financeiros têm tempo de se posicionar adequadamente. O instrumento foi adotado pelo Banco Central brasileiro em agosto. Agora, o BC indica, na ata desta terça-feira, que esse recurso deve ser abandonado em breve. Ao se referir ao parágrafo 17 do documento, a XP sublinha que o Copom sinaliza que “a retirada do FG [forward guidance], que pode acontecer ‘em breve’, não implica ‘mecanicamente aumento de juros’”. Cenário complicado A equipe de análises da gestora prossegue, afirmando que “essa preocupação em preparar o mercado para o pós-FG, em nossa visão, sugere que sua retirada pode acontecer tão cedo... Acessar conteúdo completo

Receba nossas novidades em seu e-mail!