Estímulo do BOE não eliminaria impacto econômico de Brexit duro

Autoridades do Banco da Inglaterra realizam a última reunião de política monetária de um ano tumultuado ainda sem saber se o Reino Unido conseguirá um acordo comercial para o Brexit. E também com a constatação de que podem fazer muito pouco para aliviar os problemas econômicos caso não haja acordo. Economistas esperam que a política [...]

Economistas esperam que a política monetária atual seja mantida na quinta-feira, embora reconheçam que isso poderia mudar caso a impossibilidade de acordo seja confirmada antes disso (Imagem: Reuters/John Sibley) Autoridades do Banco da Inglaterra realizam a última reunião de política monetária de um ano tumultuado ainda sem saber se o Reino Unido conseguirá um acordo comercial para o Brexit. E também com a constatação de que podem fazer muito pouco para aliviar os problemas econômicos caso não haja acordo. Economistas esperam que a política monetária atual seja mantida na quinta-feira, embora reconheçam que isso poderia mudar caso a impossibilidade de acordo seja confirmada antes disso. O BOE aumentou o estímulo para combater a crise causada pelo coronavírus há apenas seis semanas. No entanto, como o presidente do BOE, Andrew Bailey, destacou na semana passada, embora o banco central ainda tenha espaço para comprar mais títulos e injetar recursos no sistema financeiro, isso não impedirá longas filas de caminhões se os controles nas fronteiras aumentarem. “O que quer que façam, não fará diferença”, disse George Buckley, economista-chefe para o Reino Unido na Nomura International. “Não é realmente algo que a política monetária possa ter como alvo. A única coisa que podem tentar fazer é mitigar o impacto nos mercados financeiros.” Como bancos centrais de outros países, o BOE está atualmente focado em manter os juros para o... Acessar conteúdo completo

Receba nossas novidades em seu e-mail!