Fintechs e empresas que emitem stablecoins poderiam receber alvarás bancários?

Um artigo do principal economista do Escritório do Controlador da Moeda dos EUA (OCC, na sigla em inglês) explora as consequências de fornecer alvarás a bancos de stablecoins — e por que fazê-lo pode fornecer benefícios regulatórios. O que é uma stablecoin? O documento de Charles Calomiris — intitulado “Chartering the FinTech Future” (algo como  [...]

Fornecer alvarás a instituições que emitem stablecoins seria uma possibilidade em vez de impedi-las de apresentar seus serviços aos consumidores (Imagem: Freepik/upklyak) Um artigo do principal economista do Escritório do Controlador da Moeda dos EUA (OCC, na sigla em inglês) explora as consequências de fornecer alvarás a bancos de stablecoins — e por que fazê-lo pode fornecer benefícios regulatórios. O que é uma stablecoin? O documento de Charles Calomiris — intitulado “Chartering the FinTech Future” (algo como  “Regulamentando o Futuro Fintech”) — cobre tanto os bancos de moedas com valor estável como o amplo setor de fintechs no que diz respeito ao que ele chama de “shadow banks” (algo como “bancos paralelos”). De forma ampla, seu documento visa captar o avanço tecnológico que está acontecendo no setor de tecnologia financeira e como irá modelar o ecossistema bancário ao longo do tempo: A Seção 3 descreve como eu acredito que o sistema de regulação bancária poderia evoluir nas próximas décadas se interesses especiais falharem em sua tentativa de preservar a situação vigente.  A curto prazo, essa evolução poderá ter inúmeras vantagens do ponto de vista da eficiência, conveniência e estabilidade para encorajar a criação de uma rede regulamentada de bancos nacionais de bancos de moedas de valor estável que emitem passivos sem depósitos. O principal argumento de Calomiris é que o processo de... Acessar conteúdo completo

Receba nossas novidades em seu e-mail!