Governo quer a retomada de investimentos do Fundo Amazônia, afirma diplomata

O governo brasileiro deseja, a partir do aprofundamento das negociações com o governo da Noruega, a retomada dos investimentos não reembolsáveis do Fundo Amazônia, para o qual a nação escandinava contribui com 95% dos recursos. Foi o que garantiu o diplomata Enio Cordeiro durante sabatina na Comissão de Relações Exteriores (CRE) nesta segunda-feira (14), quando teve seu [...]

Comissão de Relações Exteriores (CRE) aprovou indicação do diplomata Enio Cordeiro para Embaixada do Brasil na Noruega, nesta segunda-feira (14) (Imagem: Jefferson Rudy/Agência Senado) O governo brasileiro deseja, a partir do aprofundamento das negociações com o governo da Noruega, a retomada dos investimentos não reembolsáveis do Fundo Amazônia, para o qual a nação escandinava contribui com 95% dos recursos. Foi o que garantiu o diplomata Enio Cordeiro durante sabatina na Comissão de Relações Exteriores (CRE) nesta segunda-feira (14), quando teve seu nome aprovado para chefiar a embaixada brasileira em Oslo, capital da Noruega. — É um dos objetivos que têm o governo brasileiro e também o governo norueguês, possibilitar a retomada dos investimentos não reembolsáveis do Fundo Amazônia. Eles condicionam a retomada dos investimentos à redução substancial nas taxas de desmatamentos e incêndios na Amazônia. Nossa mensagem central é que a obstrução dos recursos acaba obstruindo projetos que são muito importantes pro desenvolvimento sócio-econômico, pro controle das queimadas e do desmatamento, e pro desenvolvimento sustentável de uma indústria florestal na Amazônia — esclareceu Cordeiro, detalhando que o fundo já disponibilizou mais de U$ 700 milhões em projetos ambientais. Má imagem O diplomata admitiu que o que mais atrapalha a relação do Brasil com a Noruega hoje é “a crescente vulnerabilidade da imagem externa brasileira,... Acessar conteúdo completo

Receba nossas novidades em seu e-mail!