Nova geração Safra enfrenta desafios de império multibilionário

Joseph Safra se tornou o banqueiro mais rico do mundo ao transformar um banco brasileiro em um império global. Com sua morte aos 82 anos, o destino desse multibilionário conglomerado está nas mãos da próxima geração da família. O que está em jogo é um conjunto de ativos formado pelo Banco Safra SA, o Safra [...]

Juntos, seus quatro filhos e a esposa Vicky podem herdar uma fortuna estimada em cerca de US$ 17,6 bilhões, de acordo com o índice de Bilionários da Bloomberg (Imagem: YouTube/Safra) Joseph Safra se tornou o banqueiro mais rico do mundo ao transformar um banco brasileiro em um império global. Com sua morte aos 82 anos, o destino desse multibilionário conglomerado está nas mãos da próxima geração da família. O que está em jogo é um conjunto de ativos formado pelo Banco Safra SA, o Safra National Bank de Nova York e o suíço J Safra Sarasin – empresas com cerca de US$ 85 bilhões em ativos bancários. Há também um portfólio de imóveis de US$ 2,3 bilhões, que inclui o Gherkin em Londres e o 660 Madison Avenue em Nova York, uma participação na empresa de bananas Chiquita Brands International e até uma mansão em São Paulo. Juntos, seus quatro filhos e a esposa Vicky podem herdar uma fortuna estimada em cerca de US$ 17,6 bilhões, de acordo com o índice de Bilionários da Bloomberg. A sucessão formal de um dos maiores bancos “de dono” do Brasil, em que a família centraliza decisões na prática, ocorre em um momento em que a pandemia acelera desafios em alguns dos principais setores de atuação dos Safra, da indústria financeira a imóveis. Os Safra – famosos pela abordagem cautelosa em relação a novos negócios – também precisam enfrentar concorrência cada vez mais acirrada por clientes ricos com fintechs e bancos... Acessar conteúdo completo

Receba nossas novidades em seu e-mail!