OCDE sugere junção de FGTS com seguro-desemprego para rede de proteção social universal

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) sugeriu que o Brasil combine o FGTS e o seguro-desemprego para criar uma rede de proteção social universal, conforme Relatório Econômico sobre o país publicado nesta quarta-feira. No documento, a OCDE também criticou o fato de o Bolsa Família não passar por reajustes como outros benefícios sociais [...]

Nesse contexto, a entidade frisou que a informalidade subiu recentemente para mais de 40% no país (Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil) A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) sugeriu que o Brasil combine o FGTS e o seguro-desemprego para criar uma rede de proteção social universal, conforme Relatório Econômico sobre o país publicado nesta quarta-feira. No documento, a OCDE também criticou o fato de o Bolsa Família não passar por reajustes como outros benefícios sociais do país, a despeito de ter forte impacto sobre a redução da pobreza e da desigualdade. Segundo a OCDE, os valores pagos sob o programa caíram 22%, em termos reais, nos últimos 15 anos. Na visão da OCDE, não existe no Brasil uma rede universal de segurança social efetiva. Isso porque tanto o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) quanto o seguro-desemprego, que custam cerca de 1% do PIB, são limitados aos trabalhadores do setor formal, excluindo os que mais precisam de proteção. “Os dois esquemas poderiam ser combinados para economizar recursos e reduzir as contribuições e poderiam servir como um mecanismo de recarga individual para uma rede de segurança social universal, de base familiar, em que os benefícios não estão condicionados ao emprego formal”, disse a entidade. Nesse contexto, a entidade frisou que a informalidade subiu recentemente para mais de 40% no país. A entidade sustentou, ainda, que o ajuste aos... Acessar conteúdo completo

Receba nossas novidades em seu e-mail!