Plano da PDG para pagamento de dívidas trabalhistas é aprovado pela Justiça

O juiz João de Oliveira Rodrigues Filho homologou o plano da PDG (PDGR3) para o pagamento de dívidas trabalhistas. A proposta foi aprovada por unanimidade em assembleia geral de credores realizada no fim de novembro e, agora, será anexada, como aditivo, ao plano de recuperação judicial da incorporadora. O aditivo estabelece quatro formas de quitação, [...]

Reconstrução: PDG dá mais um passo para sair da recuperação judicial (Imagem: Divulgação/PDG) O juiz João de Oliveira Rodrigues Filho homologou o plano da PDG (PDGR3) para o pagamento de dívidas trabalhistas. A proposta foi aprovada por unanimidade em assembleia geral de credores realizada no fim de novembro e, agora, será anexada, como aditivo, ao plano de recuperação judicial da incorporadora. O aditivo estabelece quatro formas de quitação, que variam desde o pagamento integral, em dinheiro, com prazos distintos, conforme o montante devido, até a quitação integral com ações da PDG. Em seu despacho, o juiz da 1ª Vara de Falências do Tribunal de Justiça de São Paulo afirma que “a autonomia da vontade dos credores é plena no âmbito da análise econômica da empresa em crise econômico-financeira, competindo ao Poder Judiciário apenas se debruçar sobre os aspectos de legalidade sobre o processo e o plano votado.” Rodrigues Filho prossegue, observando que “se os credores aceitam a apresentação de um aditivo ao plano em vigor, não existem razões para obstar uma nova rodada de negociações entre as partes.” A PDG está em recuperação judicial desde 2017. Veja o despacho do juiz, divulgado pela PDG nesta terça-feira (15). Leia também: Coronavírus Vacinar bilhões requer resolver impasse sobre patentes Acessar conteúdo completo

Receba nossas novidades em seu e-mail!