Por dívida atrasada, Brasil corre risco de perder voto na ONU

O Brasil mais uma vez corre o risco de perder seu direito a voto na Organização das Nações Unidas se não pagar ao menos parte do que deve à entidade. A ONU enfrenta aperto no caixa em meio à crise da Covid-19, que pressiona orçamentos de governos no mundo todo. O governo brasileiro precisa realizar [...]

Em nota, o Ministério da Economia disse que os recursos para regularizar pagamentos do Brasil junto à ONU e outros organismos multilaterais estão prestes a ser aprovados pelo Congresso Nacional (Imagem: REUTERS/Carlo Allegri) O Brasil mais uma vez corre o risco de perder seu direito a voto na Organização das Nações Unidas se não pagar ao menos parte do que deve à entidade. A ONU enfrenta aperto no caixa em meio à crise da Covid-19, que pressiona orçamentos de governos no mundo todo. O governo brasileiro precisa realizar até o final deste mês um pagamento mínimo de US$ 113 milhões de uma dívida total de US$ 391 milhões para manter seu voto na Assembleia Geral, escreveu o secretário-geral adjunto Chandramouli Ramanathan em carta endereçada à Missão do Brasil na ONU, à qual a Bloomberg teve acesso. Em nota, o Ministério da Economia disse que os recursos para regularizar pagamentos do Brasil junto à ONU e outros organismos multilaterais estão prestes a ser aprovados pelo Congresso Nacional. “Pretende-se, portanto, até o final do ano, avançar na regularização da dívida com o organismo”, disse a nota. O Ministério das Relações Exteriores não se manifestou até a conclusão desta reportagem. A ONU está sob pressão financeira devido aos atrasos nos pagamentos de vários países, incluindo os EUA. Porém, nenhuma grande economia do G-20 correu o risco de perder seu voto com tanta frequência. O Brasil evitou um cenário semelhante no... Acessar conteúdo completo

Receba nossas novidades em seu e-mail!