Recuperação em V no Brasil está perdendo um pouco de força, alerta Campos Neto

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, avaliou nesta terça-feira que a recuperação econômica em formato de V do Brasil está perdendo um pouco do ímpeto, e que investir em vacinas parece ser mais barato do que prolongar programas de transferência de renda. "Tivemos o que foi o início de uma recuperação em V, [...]

Volta dos investidores estrangeiros depende da mensagem de controle fiscal que o Brasil precisa buscar, explica o presidente do Banco Central (Imagem: Reuters/Adriano Machado O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, avaliou nesta terça-feira que a recuperação econômica em formato de V do Brasil está perdendo um pouco do ímpeto, e que investir em vacinas parece ser mais barato do que prolongar programas de transferência de renda. “Tivemos o que foi o início de uma recuperação em V, está perdendo um pouco do ímpeto agora”, afirmou ele em inglês, ao participar de evento promovido pela Eurasia Group. Segundo Campos Neto, esse quadro já era de certa forma antevisto pela autoridade monetária. Ele frisou que, quando o Banco Central começou a falar a respeito, o mercado ainda era muito cético sobre a recuperação do país e que hoje as perspectivas dos agentes já são de uma contração menor do PIB para este ano, algo entre -4% e -4,4%. De acordo com o presidente do BC, números de “soft data” –medidos a partir de avaliação qualitativa, como índices de confiança– foram afetados nas últimas semanas pelo aumento de casos de Covid-19. Mas no geral, o BC ainda vê um formato “muito parecido com o de V” apontado pelos indicadores. Ele também disse, sobre o primeiro trimestre do ano que vem, que agora os agentes começam a se perguntar se o aumento recente no casos de coronavírus irá afetar ou não a economia. Mais cedo... Acessar conteúdo completo

Receba nossas novidades em seu e-mail!