Relator não vai incluir termo de responsabilidade em MP sobre a vacina, diz Maia

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que o relatório da Medida Provisória (MP) 1003/20, que trata da adesão do Brasil à aliança global pela vacina igualitária contra a Covid-19, não vai incluir o termo de responsabilidade exigido pelo governo para vacinar a população. O relator da MP é o deputado Geninho [...]

O presidente da Câmara também classificou como “lamentável” a declaração de Bolsonaro, que disse que não vai ser vacinado (Imagem: Gustavo Sales/Câmara dos Deputados) O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que o relatório da Medida Provisória (MP) 1003/20, que trata da adesão do Brasil à aliança global pela vacina igualitária contra a Covid-19, não vai incluir o termo de responsabilidade exigido pelo governo para vacinar a população. O relator da MP é o deputado Geninho Zuliani (DEM-SP), do mesmo partido de Rodrigo Maia. “O relator não vai incluir esse retrocesso na MP. Que seja incluído por emenda do governo, não por um partido da presidência da Câmara. O governo que tente ganhar no Plenário”, afirmou Maia. Maia quer votar a MP nesta quinta-feira (17). A proposta autoriza a adesão do Brasil à aliança global coordenada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que reúne governos e fabricantes para garantir o desenvolvimento de uma vacina contra a Covid-19 e o acesso igualitário a ela. O presidente da Câmara também classificou como “lamentável” a declaração de Bolsonaro, que disse que não vai ser vacinado. Para Maia, Bolsonaro deveria comandar o País e não entrar na briga ideológica pela vacina. “Enquanto ele briga pelo tema, milhares de brasileiros vão se infectando e centenas vão perdendo suas vidas. Está tratando de um tema tão grave de forma tão irresponsável, mas tenho... Acessar conteúdo completo

Receba nossas novidades em seu e-mail!