Rudá Pellini: o futuro das propriedades digitais

Com base nas minhas palestras e no livro, sempre me perguntam, “e aí, qual o futuro do dinheiro?”. A minha resposta nunca é simples e, geralmente, vem acompanhada de uma explicação sobre o conceito das principais inovações que estão acontecendo no mercado financeiro e como a nossa relação com o dinheiro e investimentos mudará completamente. [...]

Confira, neste artigo por Rudá Pellini, cofundador do Wise&Trust, como propriedades digitais podem ser um novo ramo de investimento (Imagem: Freepik/vectorjuice) Com base nas minhas palestras e no livro, sempre me perguntam, “e aí, qual o futuro do dinheiro?”. A minha resposta nunca é simples e, geralmente, vem acompanhada de uma explicação sobre o conceito das principais inovações que estão acontecendo no mercado financeiro e como a nossa relação com o dinheiro e investimentos mudará completamente. Se tiver interesse, você pode conferir meu artigo sobre o tema com essa resposta aqui. O fato é que a tecnologia está mudando rapidamente e causando um impacto muito profundo em diversos setores. O avanço da digitalização foi mais evidente em 2020, quando manter uma presença on-line e usar diferentes canais tornou-se imperativo para sobreviver em meio à crise do coronavírus. Essa digitalização impactou em um aumento expressivo do consumo de serviços on-line e baseados em mobile, bem como direcionou investimentos expressivos de mídias tradicionais para mídias sociais, influenciadores e redes de anúncios. De acordo com dados do portal eMarketer, publicados no portal Tech Crunch, a projeção para 2021 é que investimentos em canais on-line sejam 65% maiores do que em mídia tradicional nos Estados Unidos. E o que tudo isso tem a ver com o futuro do dinheiro e a disrupção no sistema financeiro? Tudo. Entender como será este... Acessar conteúdo completo

Receba nossas novidades em seu e-mail!