Senado rejeita indicação de diplomata para cargo de delegado do Brasil em Genebra

O Senado rejeitou, nesta terça-feira, a indicação do diplomata Fabio Mendes Marzano para o cargo de delegado permanente do Brasil em Genebra, em votação com placar de 37 votos contrários e 9 favoráveis, além de uma abstenção. Marzano, que é formado pelo Instituto Militar de Engenharia (IME), ocupa atualmente o cargo de secretário de Assuntos [...]

A senadora acrescentou que o Itamaraty está virando “uma casa dos terrores” (Imagem: REUTERS/Jorge Silva) O Senado rejeitou, nesta terça-feira, a indicação do diplomata Fabio Mendes Marzano para o cargo de delegado permanente do Brasil em Genebra, em votação com placar de 37 votos contrários e 9 favoráveis, além de uma abstenção. Marzano, que é formado pelo Instituto Militar de Engenharia (IME), ocupa atualmente o cargo de secretário de Assuntos de Soberania Nacional e Cidadania do Itamaraty, tendo servido nas embaixadas da Espanha, do Peru, da Venezuela e dos Estados Unidos e na Delegação do Brasil junto à Unesco, além de ter sido chefe da Assessoria de Assuntos Internacionais do Supremo Tribunal Federal (STF), segundo a Agência Senado. O diplomata fora aprovado para o cargo em Genebra em sabatina na Comissão de Relações Exteriores do Senado, mas acabou sendo rejeitado na votação realizada no plenário da Casa. Durante a sabatina, Marzano fora questionado pela senadora Kátia Abreu (PP-TO) sobre seu posicionamento quanto ao Acordo Mercosul–União Europeia e até que ponto a questão ambiental interfere como barreira criada pelos produtores rurais da Europa para que o tratado não ocorra, mas não respondeu. A senadora protestou, dizendo, de acordo com a Agência Senado, que o fato de um indicado a embaixador em Genebra se recusar a comentar os temas apontados pelos senadores é “lamentável e envergonha o Itamaraty, o Senado e o... Acessar conteúdo completo

Receba nossas novidades em seu e-mail!