Ultrapar: analistas divergem sobre venda da Oxiteno ser boa ou não

A venda da Oxiteno pela Ultrapar (UGPA3) é uma ideia ruim, na avaliação da Planner. A notícia sobre a possibilidade de desinvestimento foi bem recebida pelo mercado, mas os analistas da corretora acreditam que a companhia iria se desfazer de um negócio bastante rentável. "No terceiro trimestre de 2020, a Oxiteno apresentou um bom resultado, [...]

Para a Ágora Investimentos, a Ultrapar estaria fazendo bem ao vender a unidade de negócio, pois ela traz volatilidade aos números consolidados do grupo (Imagem: YouTube/Grupo Ultra) A venda da Oxiteno pela Ultrapar (UGPA3) é uma ideia ruim, na avaliação da Planner. A notícia sobre a possibilidade de desinvestimento foi bem recebida pelo mercado, mas os analistas da corretora acreditam que a companhia iria se desfazer de um negócio bastante rentável. “No terceiro trimestre de 2020, a Oxiteno apresentou um bom resultado, em função das vendas mais concentradas no mercado externo e em produtos com maior valor agregado, além dos ganhos com a desvalorização do real. A receita líquida no trimestre aumentou 27,2% e o Ebitda total (R$ 169 milhões) foi 109% maior que no terceiro trimestre de 2019”, destacou a Planner. Para a Ágora Investimentos, a Ultrapar estaria fazendo bem ao vender a unidade de negócio, pois ela traz volatilidade aos números consolidados do grupo. Além disso, caso a Ultrapar venda a Oxiteno por mais de US$ 1 bilhão (uma avaliação bastante razoável, na opinião dos analistas), a companhia poderia aproveitar para aumentar sua liquidez visando a aquisição de empresas em outras linhas de negócios. “O nível de Ebitda da Oxiteno em 2021 deve ser próximo a R$ 900 milhões, o que significa que, em uma avaliação de US$ 1 bilhão, a transação seria concluída perto de 6 vezes o EV/EBITDA (valor da empresa sobre Ebitda) para... Acessar conteúdo completo

Receba nossas novidades em seu e-mail!