Auxilio Emergencial poderá ser prorrogado com uma segunda onda de COVID-19

Ministro da economia declara que o benefício poderá voltar a ser pago caso haja uma nova onda de covid-19 no país

Auxilio Emergencial poderá ser prorrogado com uma segunda onda de COVID-19

Nessa quinta-feira, 11, em um evento virtual promovido pela ABRAS (Associação Brasileira de Supermercados), o ministro da economia, Paulo Guedes, declarou que o Auxílio emergencial vai voltar a ser pago no ano que vem caso haja uma nova onda de covid no pais.

Nas palavras do ministro:

“Existe possibilidade de haver uma prorrogação do auxílio emergencial? Aí vamos para o outro extremo. Se houver uma segunda onda de pandemia, não é uma possibilidade, é uma certeza. Nós vamos ter de reagir, mas não é o plano A. Não é o que estamos pensando agora”

O ministro afirmou que as mais de 60 milhões de contas digitais já criadas pela Caixa econômica federal facilitariam um novo processo de pagamento

Além disso, segundo o ministro, os gastos ficariam em patamares menores

"Ao invés de gastar 10% do PIB, como foi neste ano, gastamos 4% (em 2021)”

Indicando que possivelmente os valores das prováveis novas parcelas serão menores, e o “filtro” de quem será beneficiado será mais estreito.

Guedes também projetou um crescimento de até 4% para a economia brasileira em 2021, caso haja um novo registro fiscal.

A Prorrogação do auxílio emergencial

Vale ressaltar que o auxílio emergencial já for prorrogado algumas vezes durante esse ano. Inicialmente, o auxílio emergencial foi lançado no valor de R$ 600 por três parcelas e depois teve o pagamento ampliado por mais dois meses no mesmo valor. Em setembro, o benefício foi prorrogado por mais quatro parcelas mas na metade do valor.

Veja mais sobre:

Notícias
Auxilio Emergencial poderá ser prorrogado com uma segunda onda de COVID-19
Solicitar Empréstimo

Receba nossas novidades em seu e-mail!